Total de visualizações de página

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Um olhar filosófico sobre as manifestações de Junho de 2013



...panem et circenses...ou pão e circo para o povo...


                                                 O gigante acordou.  Parecia que tudo estava bem e que o BRASIL era o país das maravilhas. Contemplávamos o mal bovinamente ou  as notícias de corrupção, de inflação, de desmandos e de violência como se tudo isto fosse coisa normal. De repente, o gigante acordou de seu sono letárgico. Parecia que ficaria eternamente deitado em um berço esplêndido.


Sobrou para a TIM que foi comparada com o transporte público



Reinvindicaram até a legalização do aborto




É um dos melhores cartazes. O povo está indignado com o comportamento dos políticos corruptos



                                                 O poder das redes sociais. Os desonestos há alguns anos não contavam com o poder das redes sociais. A data de Junho de 2013 ficará na história do país como a entrada das redes sociais como ferramenta da população para poder se mobilizar melhor.  A expressão Saímos do Facebook é perfeita ao pinçar esta característica das manifestações ou elas se organizaram nas redes sociais.  O Brasil depois de Junho de 2013 nunca mais será o mesmo.

As redes sociais permitiram que a população se organizasse e
desse uma resposta aos desmandos. Este cartaz resume o poder das redes sociais

               ...a palavra correta é indignação...
Por esta foto percebemos que os manifestantes frequentam redes sociais,
são jovens, estudam e não são simplesmente baderneiros como muitos insistem dizer.
                                                    A imprensa chapa branca. A imprensa no Brasil não é confiável. Não é confiável em razão de precisar de dinheiro para se manter. Em razão disso se uniu aos conservadores e ficou realçando a violência da minoria e não procurou discutir o motivo do povo ter saído às ruas. Os motivos estes sim, devem ser discutidos à farta e à saciedade. Foi moralista ao destacar a conduta dos manifestantes que impediam outros de depredarem e não chamar para o debate da crise que chegou ao Brasil. Esta é a verdadeira realidade do país. Qual a verdadeira causa das manifestações? Está tudo bem no país? Assim, fiquem atentos e observem as notícias e veja como elas são manipuladas e fogem do cerne da questão. Não entre na onda da interpretação superficial do que ocorreu. Foi algo grave e profundo. Ficará na história do país. Não foi uma baderna de jovens, foi indignação. A palavra correta é indignação. Preste atenção em quem ficou contra os manifestantes, na sua maioria estão apenas preocupados com o funcionamento das coisas como vinham ocorrendo (status quo ante) e estão com medo dos problemas econômicos ou com dinheiro apenas simplificando o dizer. Apenas por dinheiro ou por comodidade, não justifica ser contra. Certamente, já estamos perdendo  em termos econômicos mas algo de bom ocorreu e pode mudar o futuro com menos corrupção  e no futuro distante colheremos melhores frutos. Para quem investe em ações as manifestações é algo terrível, uma hidra...só que dinheiro não é tudo.
                                                      

                                                       As vozes das ruas. Pelo que ouvi o povo está farto da corrupção, da violência que fica impune, dos meios de transportes que são caros e ineficientes, com a precariedade das escolas, com o sistema de saúde, entre outras revindicações.


                                             


Este cartaz resume um dos pontos das revindicações.
O país está sendo roubado pela corrupção e incompetência
e, ao contrário do que muitos pensam, existem pessoas revoltadas com a situação 


Neste cartaz estão pedindo cadeia para os mensaleiros.
A impunidade é uma das indignações da população.





                                            Fifa,  Futebol e televisão, o circo do povo. Em roma para conter as revoltas os governantes davam circo e pão ao povo. A FIFA nada mais é que um circo sofisticado globalizado. Os  velhacos sabendo da fraqueza da população por futebol, novelas ridículas e outras diversões que emburrecem a população não perdem tempo. Todos ganham hipnotizando a população com o seu circo e na construção dos estádios caros. Artistas, entre aspas, também se aproveitam unindo a políticos, faturando, e contribuem para que o espetáculo continue. Preste atenção nos artistas que apóiam os políticos corruptos.
A expressão: O povo decidiu, queremos o melhor para o Brasil é fantástica.





 



                                          
                                                              Panem et circenses é a forma acusativa da expressão latina panis et circenses, que significa pão e jogos circenses, mais popularmente citada como pão e circo. Esta foi uma política criada pelos governos romanos. Esta política de pão e circo caracterizava pela distribuição  de comida e diversão ao povo, com o objetivo de acalmar a população revoltada contra os governantes. Espetáculos sangrentos, como os combates entre gladiadores, eram promovidos nos estádios para divertir a população; nesses estádios, o pão era distribuído gratuitamente. O custo desta política foi enorme, causando elevação de impostos e sufocando a economia do Império.


                                                              Poeta romano Juvenal é o autor. A frase teria sua origem nas Sátiras de Juvenal.




Só um mal intencionado discordaria deste jovem
 
    ...o rei está nú...

O governo constrói estádios e esquece da segurança, saúde e educação. Isto é fato

Este cartaz mostra claramente que nem todo mundo é fanático por futebol. Lembra a famosa expressão: - O rei está nu
Com certeza a maioria preferiria escolas à copa do mundo. Foi um tapa na cara da FIFA.
 Os Senhores da Fifa estavam acreditando que seriam recebidos como deuses na Parvolândia.
Foi bom vê-los sem prestígio e questionados na Copa das Confederações.
 Imaginem a antítese da Copa do Mundo de 2014. Se a copa do mundo é uma tese, não podemos por nada neste mundo dispensar a antítese, mesmo que houvéssemos escolas maravilhosas, nunca se esqueçam disso, as ideias se completam.  



                                                              As manifestações de Junho de 2013 foi um cisne negro na vida dos políticos e dos ionvestidores. No texto  Um cisne negro em nossa vida escrevemos:


 "Black Swan. Nos investimentos a expressão black swan ou cisne negro significa o exsurgimento de um fato visceralmente inesperado que pode levar o investidor a se haver com grandes perdas ou problemas. São características do cisne negro a surpresa do acontecimento e o impacto causado. Destarte, temos a surpresa e o impacto como seus elementos fundamentais. Na verdade um black swan nada mais é que o estudo científico da Teoria do Risco. Percebemos no nosso empirismo que da mesma maneira que o brasileiro não gosta de abordar a temática da morte, não gosta de abordar riscos em seus investimentos. Preferem bater na mesa por três vezes a conjurar os maus agouros, algo como Alice deslumbrada no mundo das maravilhas. Só que este comportamento traz uma perda ao planejamento estratégico com metas ousadas e manejamento de riscos. Se algo é bom e perfeito, se o investimento é acima de qualquer suspeita e perfeito, nunca podemos olvidar, no entanto, que tudo que é verdadeiro e perfeito também merece o questionamento ou a destruição de suas teses. Os filósofos já vislumbraram isto, pois o mundo é física ou puro movimento em que as coisas se pagam umas com as outras em mudanças constantes. Tese sem antítese é um pulo no precipício das trevas, a própria perda do movimento, da mudança. É negar a vida e tentar encontrá-la no paraíso perdido post mortem."




                                            O direito de manifestar é constitucional. É difícil de entender coisas simples como este direito sagrado. Este direito vem desde a antiguidade e é uma espécie de revolta algo como descontentamento. O estado, através das forças de repressão nuinca entederão isto com clareza. Falta de preparo constitucional. O cartaz abaixo  denuncia a violência do governo no trato das manifestações. Jamais deveria ter sido usado spray de pimenta contra os manifestantes.

 
 
 
 
 
 
 


Cartaz contra a violência policial


                                                             As manifestações foram um cisne negro na vida dos políticos que estavam bem tranquilos e dos investidores. Os políticos estavam imaginando que o povo iria ficar entretido com futebol e que em 2014 os mesmos de sempre seriam eleitos mentindo e comprando votos. Parece que as eleições serão quentes, a chapa esquentou. No lado econômico adeus investimentos. Quem tem dinheiro vai colocar a barba de molho, interromper projetos e observar no que isso vai dar. Só que um país em stand by cria um ciclo vicioso, ou seja, se as coisas estão ruins, ficarão piores ainda em razão da interrupção de projetos. Quando a roda econômica começa a voltar para trás nenhuma medida econômica é capaz de detê-la. Dias sombrios virão. Dona Dilma não tem nenhumna competência para lidar com a crise, só almeja reeleição a qualquer custo em cima da ignorância da população, triste fato escondido pela imprensa. O correto era apertar cinto. A combinação Brasil em crise e o resto do mundo na mesma situação pode ser devastadora para o nosso país como elo mais fraco no mundo globalizado. A marolinha deixará saudades.
                                                        

3 comentários:

  1. Boa noite, professor.

    Estava esperando ansiosamente por algumas observações suas sobre a situação atual!

    Concordo sobre a imprensa brasileira. Em 17 de junho de 2013 escrevi: "O MEDO DA IMPRENSA: A imprensa não fala sobre os objetivos, somente diz que o movimento é pacífico, que não há vandalismo, que DEVE SER sem violência e sem exageros!"

    Até mesmo a imprensa norte-americana estava melhor elencando os motivos das manifestações!

    Boa noite.

    ResponderExcluir