Total de visualizações de página

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A grandeza do super-homem ou amor fati






Filósofo alemão Friedrich Wihelm Nietzsche,
15.10.1844-25.8.1900: Será o Homem um erro de Deus,
 ou Deus um erro dos Homens?



...nos nossos investimentos vejo que temos uma tendência em sairmos da realidade...


                                                           O filósofo alemão Nietzsche nascido no ano de 1844 e morto em 1900, legou-nos uma filosofia que entendemos ser perturbadora, faz-nos refletir e muitas das vezes consegue abalar nosso pensamento. Digo que é necessário estudarmos Nietzsche, algo como ler a antítese das idéias fixas da sociedade em forma poética.

                                                           A expressão amor fati foi empregada como fórmula da concepção nietzschiana  do super-homem ou é, por outras palavras, a atitude própria do super-homem. E qual é esta atitude?  podemos extrair de sua obra o seguinte pensamento que explica bem isto de forma contundente:


                                                            Não querer nada de diferente do que é, nem no futuro, nem no passado, nem por toda eternidade. Não só suportar o que é necessário mas amá-lo.


                                                               Amor fati também é a fórmula do seu espírito dionisíaco explicado por ele mesmo:

                                                              
                                                                 ...enquanto aceitação integral e entusiástica da vida em todos os seus aspectos, mesmo nos mais desconcertantes, tristes e cruéis..."

                                                                   O homem é uma corda esticada entre o animal e o super-homem, uma corda sobre o abismo.

                                                                   Friedrich Nietzsche não era político, sem embargo disso acusam o seu pensamento de servir de base para o Nazismo alemão na tese da superioridade da raça ariana, do alemão autêntico. O conceito de super-homem expressado na fórmula amor fati vem se desenvolvendo há séculos. O pensador Luciano referia a Jesus Cristo como o super-homem e Ariosto empregou o termo como uma humanidade extraordinária. Não foi nem Nietzsche quem introduziu o termo super-homem na Alemanha e sim por Heinrich Muller e usado pelos escritores do romantismo deste país como Goethe em sua obra monumental Fausto.

...espírito dionisíaco é a aceitação integral e entusiástica da vida...

                                                                      Em nossa vida é de bom alvitre aceitarmos os fatos, não olharmos para trás sistematicamente. Isto fortalece e coloca o homem de carne e osso com os pés na realidade, é uma espécie de amor, um amor fati. Nos nossos investimentos vejo que temos uma tendência em sairmos da realidade ou viajarmos na maionese, isto por desespero, não gostamos de perder. Na verdade a não aceitação da realidade refletirá negativamente no futuro e o ser começará a se perder no presente, no passado e futuro, um ciclo vicioso de destruição se formará em sua volta. Por outro lado, entendemos que esse homem ideal deve ser esquecido, leva ao racismo e a concepções anti-democráticas. O amor fati pode ser encarado como um remédio amargo para a alma, se não tomarmos este remédio espiritual podemos ir até ao óbito.


                                                                   Nietzsche ao lado de ser um filósofo é um poeta, um escritor que sabia usar as palavras com ênfase e daí a contudência de seu pensamento e o perigo de sua filosofia cair nas mãos erradas. Pelo que conhecemos dele podemos afirmar que ele sofreu muito, achacado por uma sequela de uma sífilis, morreu novo, foi discriminado pelos filósofos da época, sem esposa, filhos ou outras pessoas. Mas era um homem entusiasmado pela vida e que acreditava nela, a tese que temos é que ele mesmo tentava ser este super-homem, projeto em que fracassou. Seu pensamento é chocante com a realidade escancarada de maneira cruel, mas otimista. Se opõe a Schopenhauer em que a crueldade da realidade é apresentada com pessimismo. Via a política da época, bem como, a religião e a moral apenas como máscaras da sociedade e sempre tratou de desvendá-las em sua filosofia com uma crítica estarrecedora. Se Platão, Kant e Cristo foram teses, Nietzsche é a antítese que merece ser olhada ou é o próprio demônio que temos neste blog concebido apenas como uma antítese inofensiva ou adolescente. Ninguém fica falando isso por aí mas sabemos que Cristo foi espinafrado por Nietzsche, coisa horrorosa para um Cristão, contudo, a antítese enriquece as teses. Ninguém se interessa por nós, se Nietzsche, a antítese, se interessou pela tese Cristo significa que ambas tem relevância uma para a outra, aliás, ninguém chuta cachorro morto, em breve mostrarei o texto neste blog em que Nietzsche espinafra Jesus Cristo com todo o gás queimado. Enfim, aí está o seu  grande mérito ou ser polêmico que é igual a olhar também para a antítese, o certo é que é difícil encarar a antítese. O mais difícil no mundo é fazer as pessoas  acreditarem na antítese, na verdade só gostamos das teses. Tome tento, pode ser sinal exterior de loucura não aceitar idéias contrárias.

                                                    
                                                                   De qualquer maneira a sua filosofia ajuda-nos a compreendermos a realidade e um pouco deste mundo mesmo não concordando com ela. Se os nossos olhos não se cansam de ver, o nosso cérebro não se cansa de meditar...


                                                                      Com a palavra Nietzsche:

                                                                      - O padre está mentindo;

                                                                       -Da escola de guerra da vida: o que não me mata, torna-me mais forte;                                                                       

                                                                       -Cada pessoa tem que escolher quanta verdade consegue suportar;
                                                                        

                                                                       -Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura;

                                                                        -Acautela-te quando lutares com monstros, para que não te tornes um;

                                                                        -Quanto mais me elevo, menor eu pareço aos olhos de quem não sabe voar.

domingo, 30 de outubro de 2011

Pujança e miséria do ativo ETER3 ou ETERNIT






A corujinha foi incorporada à marca nos anos '80.
Valia R$ 8,60 em 20/10/11




...Amianto em grego é asbesto que significa indestrutível...



...eudaimonia significa felicidade em grego...

                                                      

                                 Trilogia da Eternit: boa pagadora de dividendos, empresa de valor e crescimento. O investidor deve escolher uma nação tendo como fator o pagamento de dividendos, os dividendos são os retornos dos acionistas. Neste aspecto a Eternit se sobressai. Empresa de valor é aquela que tem bons produtos, aceitos pelo mercado e que geram lucros. Outro fato é que a empresa sempre tem crescido, dobrou de tamanho nos últimos anos.
Agora fabrica produtos em
polietileno em substituição ao
fibrocimento
                             A novela do amianto e a distinção entre amianto crisotila e amianto anfibólio. Sobre o amianto a empresa diz:

           
Existem dois grupos principais de amianto, o crisotila e o anfibólio. O amianto anfibólio possui fibras duras, retas e pontiagudas, além de possuir altas concentrações de ferro em sua composição. Já o amianto crisotila possui fibras curvas e sedosas em sua composição tem altas concentrações de magnésio. Estas características implicam em biopersistência, que significa, o tempo de permanência das fibras no pulmão antes de serem eliminadas. Enquanto as fibras do amianto crisotila permanecem no máximo dois dias e meio no pulmão, as fibras do anfibólio ficam mais de um ano. Há diversos estudos que comprovam que a ingestão de fibras de amianto crisotila não provoca riscos à saúde já que os potenciais riscos de agravos a saúde são associados com a inalação e não com a ingestão. Desse modo, os materiais como caixas d’água de fibrocimento são seguros, pois não há estudos epidemiológicos que demonstrem haver riscos na sua utilização. O amianto só representa risco à saúde quando suas fibras são inaladas por longos períodos e em concentrações significativas. Mesmo quem não possui caixas d’água ou tubulações de fibrocimento contendo amianto, acaba tendo contato com a fibra. O amianto é um mineral encontrado no solo e, consequentemente, nos lençóis freáticos, o que colabora para que água contenha grandes qualidades da fibra. A água potável distribuída na capital do Canadá, Ottawa, por exemplo, contém cerca de 4.400.000 fibras de amianto por litro e não há registro de qualquer adoecimento naquela população por conta da ingestão dessas fibras. O amianto é um mineral que se apresenta de forma fibrosa em cerca de 70% da superfície terrestre. O intemperismo, modificações físicas e químicas causada por vento e água, faz com que as fibras do amianto sejam encontradas em dispersão em qualquer parte do planeta. Estudos dos pesquisadores Kohyama (1989) e Klein. C (1993) encontraram a presença de fibras de amianto sobre o oceano Pacífico em pontos distantes dos núcleos habitacionais (Ilhas Chichijima), onde a média geométrica de concentração das fibras foi igual a 9,7 fibras por litro de ar enquanto a média aritmética foi de 14,1 fibras por litro. O INSERM, Instituto de Pesquisas Médicas da França, também apontou em 1996, a concentração de 0,13 fibras por litro na atmosfera de Paris. De outra parte, a EPA, Agência Governamental do Meio Ambiente dos EUA, e a OMS, Organização Mundial da Saúde, afirmam que a concentração natural de fibras de amianto em suspensão na atmosfera é de 0,001 f/ml ou 1 fibra por litro o que implica que, onde quer que respiramos, pelo menos, 17.000 fibras de amianto por dia.

                                                                História do amianto. O amianto foi conhecido até na Pré-História, foi usado por gregos e romanos que ficaram encantados com a resistência do mineral ao fogo o qual também podia ser fiado e tecido. Eles o chamavam de material mágico. No ano de 1895 Ludwig Hatschek criou a mistura  amianto, cimento e água e colocou como meta uma Eternit em cada país. A palavra Eternit vem do latim e significa Eterno uma lembrança ao amianto que é indestrutível.
                                                              

                                                                                            Alegação de inconstitucionalidade na Lei Proibidora do Estado de São Paulo. O Estado de São Paulo editou lei proibindo o uso do amianto. A ação está no Supremo Tribunal Federal

                                                                                             Terreno no Porto de Pecém. Na data de 9/Fevereiro/2011, Comprou um terreno localizado no Distrito Industrial do Porto de Pecém, em Fortaleza, que abrigará sua nova fábrica multiprodutos. Segundo o Presidente do Grupo Eternit, Élio A. Martins, a Eternit iniciou prospecção e estudos para instalação da nova fábrica em 2010 e concluiu que a região Nordeste seria ideal para abrigar a nova unidade que atenderá também às demandas de outras regiões do país. O complexo de Pecém foi inaugurado em 2002 e fica a 60 Km de Fortaleza no Estado do Ceará, sua proximidade com a Europa reduz significativamente o tempo da logística no transporte de produtos.

                                                                                                                       Data de 20/10/2011. Alardeou que vai iniciar a instalação da 12ª fábrica no Estado do Ceará. no distrito industrial de Pecém, município de Caucaia. São noventa e sete milhões de reais em investimentos em parceria com a multinacional colombiana Corona. Terá capacidade para fabricar l,5 milhão de louças sanitárias. A Corona, uma das maiores fabricantes do mundo de louças sanitárias, tem fábricas na Colômbia e nos Estados Unidos e terá uma participação de 40%, ela entra com a tecnologia e a Eternit com o conhecimento do mercado nacional. É um fato bastante positivo e significa que a empresa está realmente diversificando as suas atividades e se tornando menos dependente do amianto. Nesta joint venture a Eternit terá 60% de participação e a nova empresa se chamará Companhia Sulamericana de Cerâmica. Notícia alvissareira. Esta notícia é alvissareira para os acionistas em razão da empresa estar realmente cumprindo o seu plano anunciado de expansão e diversificação, ou seja, o amianto caso seja proibido em definitivo não trará tanto impacto no futuro da empresa. A Corona tem mais de 130 anos de existência e a produção de um milhão e meio de peças na nova fábrica é significativa. Às deveras, a empresa está cumprindo a sua promessa de diversificação de produtos e diminuir a sua dependência do amianto e isso é muito bom.
exício=ruína
Caixas d'água de fibrocimento fórmula
descoberta em 1895 por Ludwig
Hatschek que patenteou a fórmula 
                                                              Data de 21/10/2011. O ativo fechou na cotação de R$ 8,60. Na data de 22/10/2009 ou exatamente há um ano o ativo estava em R$ 8,39, ou seja, em vista da maioria dos ativos, que só fizeram cair neste período estudado, notamos uma resistência muito grande, tendo em conta o fator europeu, o arrefecimento nos Estados Unidos e outros fatores. Não podemos esquecer que na data de 30/12/2010 esteve em R$ 12,00.
 


endividamento+crescimento=exício
                                                                                    Fantasma da bolha imobiliária e  o fator europeu. Esta empresa se beneficiou e muito da pujança imobiliária brasileira como fornecedora de telhas, caixas d'àgua e outros produtos. Só que o setor imobiliário não é para sempre, se não há bolha pode haver arrefecimento. A economia brasileira é baseada no Keynesianismo ou seja o nosso crescimento é turbinado  em endividamento+ crescimento=exício. É a adrenalina da economia, só que o paciente não pode contar com por muito tempo, é que deixa de fazer efeito com o uso constante. O governo adota este modelo econômico para se manter no poder. Esse tipo de crescimento foi o adotado pela Europa em seu estado imaginário do bem estar social em que todos podem consumir além de sua capacidade e não produzir o equivalente. Neste delírio estrelado por Keynes a riqueza é apenas contábil, em míseros números que podem desabar, como o preço de um imóvel na vida real pode ruir e contaminar profundamente os números imaginários nas alturas. O que adianta os credores, os bancos dizerem que tem trezentos e cinquenta bilhões de euros o que equivale a um trilhão de reais, se não vai ver a cor deste dinheiro ou apenas uma parcela reduzida, no melhor dos cenários. A verdadeira e filosófica riqueza é poupança+crescimento=eudaimonia (felicidade). Sem embargo disso, é uma empresa que sobrevive às crises que vem e vão.

                                                               O bom resultado no Primeiro Trimestre de 2012. Divulgou lucro líquido de R$ 29,9 milhões, referente ao primeiro trimestre deste ano. O crescimento, comparado ao mesmo período de 2011, é de 78%. Registrou uma receita líquida de R$ 210,2 milhões no período, aumento de 13% na mesma comparação. O custo das vendas avançou apenas 1%, para R$ 116,2 milhões. A maior eficiência garantiu uma margem bruta sete pontos percentuais maior, em 45%. A melhor rentabilidade foi conquistada principalmente na produção de crisotila com redução de 6% nos custo e das telhas de concreto com queda de 5%. As despesas gerais e administrativas subiram 8% em 12 meses, para R$ 53,9 milhões no trimestre, principalmente por conta de um aumento de provisões contra perdas e na defesa da utilização da crisotila, ligada ao amianto. O resultado pode ser considerado muito bom, confirmasndo a tese de ser uma das melhores empresas da bolsa. Se não fossem os problemas na área da construção civil que só aumentaram  e a possível proibição do amianto, o ativo teria condições de dobrar de valor facilmente. Vamos ver como o mercado reage.

                                                                       
                                                        Artigo preocupante na revista Carta Capital de novembro de 2012 de Claudio Bernabucci para o ativo ETER3:



"Um silêncio estrondoso acompanhou as duas audiências públicas do Supremo Tribunal Federal, nos dias 24 e 31 de agosto, dedicadas a debater a manutenção ou banimento do amianto no Brasil. A mídia dedicou pouca ou nenhuma atenção à explosiva questão que, em outros países, tem mobilizado profundamente a sociedade. Por conseguinte, a opinião pública não tomou conhecimento nem debateu o assunto. Não foi por falta de jornalistas em Brasília nestas semanas de “mensalão”.
O país é o terceiro maior produtor mundial, grande exportador e consumidor do produto. Em base aos cálculos das mais prestigiosas instituições científicas internacionais, a poeira do amianto é responsável pela morte de centenas de milhares de pessoas no mundo, vítimas de doenças respiratórias e vários tipos de câncer, que possuem em comum uma característica perversa: um período de latência de muitos anos entre a exposição e o aparecimento da doença. A produção e o consumo do mineral foram banidos em 66 países: os europeus, mas também muitos do sul do mundo, entre os quais três vizinhos, Argentina, Chile e Uruguai. Não obstante, esta catástrofe sanitária continuará provocando milhões de vítimas nos próximos anos, já que a produção mundial cresce nos países emergentes.
O uso do amianto pode ser perfeitamente substituído por materiais ligeiramente mais caros, mas, evidentemente, a lógica dos negócios é mais forte do que as preocupações sanitárias. No Brasil, a situação é paradoxal e trágica ao mesmo tempo: a lei federal de 1995 admite extração e uso controlado do material, enquanto sete leis estaduais proíbem a sua utilização. As vítimas são numerosas, mas foram escondidas ou silenciadas, sem suscitar mais escândalos. Para quem tiver interesse em aprofundar a problemática, sugiro o site da Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto e o da mais qualificada academia científica mundial sobre saúde ambiental e ocupacional, o
Um antecedente fundamental para a nossa reflexão é a condenação, em fevereiro passado, de dois proprietários da multinacional Eternit – entre as principais produtoras de amianto no mundo – pelo Tribunal de Turim, na Itália, por “desastre culposo permanente” e “omissão dolosa de medidas anti-infortúnio”. No processo de envergadura internacional promovido pelas vítimas da fábrica instalada na região do Piemonte, o magnata suíço S. Schmidheiny e o barão belga L. de Cartier foram condenados a 16 anos de prisão, além do pagamento de centenas de milhões de euros como ressarcimentos. Ficou provado que há décadas eles tinham conhecimento dos efeitos mortais do amianto e os esconderam para preservar o próprio business.
Imediatamente após a publicação dessa notícia – curiosa coincidência –, a Eternit ofereceu anúncio que CartaCapital recusou. Outras revistas e jornais consideraram mais conveniente aceitar a oferta. Agora que a disputa pela proibição do amianto se acirra e chega ao Supremo Tribunal – que deveria se pronunciar de forma definitiva nos próximos meses –, outra curiosa coincidência: CartaCapital retoma o assunto e os outros se calam. Não só: no aeroporto de Brasília um outdoor de propaganda da maior mineradora de amianto do País exibe o logotipo de duas destacadas revistas nacionais, que, “sensibilizadas”, apoiam a campanha pela manutenção do amianto.
Esse uso triste e cínico da liberdade de expressão encontra infelizmente o seu pendant institucional na inépcia do Parlamento, onde uma proposta de lei a favor do banimento está congelada faz anos graças a “bancada da crisotila”, um grupo lobístico batizado com o nome da variedade de amianto extraída no Brasil. Fiéis ao princípio de que Deus é brasileiro (e com jeitinho pode até virar amigo), esses senhores defendem a tese dos produtores: a de que o amianto nacional não é nocivo como no resto do mundo. A posição da comunidade científica internacional, da OMS e da Organização Internacional do Trabalho é oposta, mas a influência dos “defensores” do amianto chega até o governo federal, condicionado pela posição “indulgente” dos ministérios das Minas e Energia e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.
Neste quadro de imobilismo funesto, é de se esperar que o Supremo possa, em curto prazo, exercer certa função de suplência da política, como vem ocorrendo nos últimos tempos, para posicionar o Brasil – no respeito da Constituição – ao lado dos países mais atentos a preservar a saúde dos próprios cidadãos. Convém lembrar que a política, ao não exercer com eficiência a própria missão, deixa perigosos espaços vazios. Na melhor das hipóteses, tais espaços são ocupados pelo poder judiciário, mas frequentemente o são por interesses corporativos ou criminosos. No caso do amianto já se conhecem os nomes dos mandantes e dos cúmplices."
 

Pujança e miséria do ativo NATU3


Pujança e miséria do ativo NATU3. Fechou em 29/12/11
último pregão em R$ 36,69, -20,37 neste ano.


                                                                    
...o acirramento da concorrência na área de cosméticos deve ser considerado...
                                                                     Pujança. Foi um dos mais bem sucedidos IPO ou oferta inicial de ações na bolsa de valores. Suas ações foram lançadas em bolsa em Maio de 2004 e o preço final foi precificado em R$ 36,50 e em 2005 chegou nos R$ 80,00.


                                                                     Maio/09. Os atuais controladores da empresa, Antonio Luiz Seabra, Guilherme Leal e Pedro Passos anunciaram que reduziriam sua participação na empresa, que era de 73,4%. Na época circulava no mercado boatos de que os donos da Natura procuram uma multinacional para comprar o negócio. Os boatos nunca foram confirmados, mas a decisão de fazer uma nova oferta pública de ações mostrava que os controladores da empresa estavam adotando o modelo de companhia de capital pulverizado.

                                                                      Fechamento em 28/10/11. O ativo fechou neste dia em R$ 33,50, com uma queda anual de -25,51%. Os resultados do 3T11 se não vieran ruins também não foram bons. O acirramento da concorrência é um fator a ser considerado. Esta área é extremamente competitiva, assim, não é fácil uma empresa dominar o setor mesmo que ela apresente produtos inovadores e bem aceitos no mercado. A corretora do City reduziu a perspectiva do ativo nos próximos anos. Os seus dividendos ainda se encontram em Out/11 em torno de 6%, o que é bastante razoável. Este ativo mostra bem que se deve vender uma ação quando ela está no auge e que ele dura pouco, já a decadência é lenta.

                                                                      Natura e Avon. A Avon é uma empresa americana e a Natura é inspirada na Avon, ou seja, vendem cosméticos e utilizam milhares de pessoas de porta em porta vendendo os seus produtos. Diante destes fatos é muito natural a comparação entre Avon e Natura. Nesta comparação a Avon só vale em torno de 25% da Natura ou a Natura é 75% mais cara que a Avon. Os que defendem a Natura dizem que o mercado da América Latina é promissor e que a empresa brasileira é mais lucrativa. De qualquer maneira, então, o investidor tem de exigir lucros e crescimentos constantes desta empresa, sempre comparar os dados de um trimestre para o outro. Caso contrário...

Natura e Avon uma comparação
que o investidor não deve esquecer

                                                                 



Balanço de 2011. O último dia de negócios da NATU3 foi em 29/12/11 e neste dia fechou em R$ 36,69 com queda gravada de -20,37. A bolsa caiu em torno disso, ou seja, o ativo andou praticamente no mesmo ritmo do Ibovespa. De janeiro a setembro do ano passado, as vendas da Natura cresceram apenas 9,5% contra 21,1% do mesmo período de 2010, e registrou a primeira queda da margem lajida desde o início do plano de recuperação, em 2007. O resultado foi consequência do aumento das despesas da empresa aliado à menor produtividade das consultoras que caiu em média 5,9% em 2011. Levar a cabo a maior produtividade das consultoras é um desafio para a empresa em 2012. Só que a menor produtividade é reflexo da maior concorrência e da crise que começa a chegar ao Brasil, no nosso entendimento, e não um fato que que possa ser solucionado em reuniões. Por outro lado, o fator europeu vai pesar e muito em 2012.

                                                                      Portanto, uma previsão sob os auspícios do 4° axioma de Zurique, dificilmente, o preço do ativo subirá em 2012, se manter o preço já é um ganho. 

sábado, 29 de outubro de 2011

Pujança e miséria do ativo LUPA3 ou Lupatech






Fundada por Nestor Perrin
O IPO foi em Maio de 2006 com as
ações saindo a R$ 22,00 e no final
de 2007 as ações estavam valendo R$
60,00. Encerrou o ano de 2011 em R$
4,46.
           

Mal acabava, à ilha das Sereias
Avizinha-se a nau com vento fresco.
Súbito acalma, e um deus serena as ondas;
Já ferrado no bojo o pano arreiam,
Do liso abeto ao golpe alveja a espuma.
De cera um disco a bronze em porções corto,
Forte as machuco e as amoleço ao lume

Do Hiperiônio Sol, de homem por homem
Os ouvidos entupo; ao mastro em cordas
Atam-me pés e mãos, e aos remos tornam.
Eis, a alcance de um grito, elas, que atentam
O impelido baixel, canoro entoam:
“Tem-te, honra dos Aqueus, famoso Ulisses,
Nenhum passa daqui, sem que das bocas
Nos ouça a melodia, e com deleite
E instruído se vai. Consta-nos quanto
O Céu vos molestou na larga Tróia,
Quanto se faz nos consta n’alma terra.”
Destarte consonavam: da harmonia
Encantado, acenei que me soltassem;
Mas curvam-se remando, e com mais cordas
Perimedes e Euríloco me arrocham.
Nem já toava ao longe a cantilena,
Quando os consócios, desuntada a cera,
Desamarram-me enfim.

                                 

Da obra A Odisséia, versos, traduzida por Manoel Odorico Mendes, 1799-1864. A tradução do grego para o português de Manoel Odorico da Odisséia é um dos maiores monumentos da língua portuguesa. Um dos nossos livros favoritos.


...é emergente na sua área...

                                                                          Pujança. A história da companhia começou em 1980, quando Perini e seu amigo Gercino Schmitt se associaram para fundar a Microinox, uma pequena fundição de precisão, agregando os conhecimentos administrativos do primeiro com os técnicos do segundo. Com sede em Caxias do Sul-RS, atualmente, os principais acionistas da Lupatech são a Lupapar (da família Perini), com 25,1%, Fundação Petros (15%) e BNDESPar (11,5%). Em 1987, Schmitt deixou a empresa. Perini não tinha como comprar o capital do sócio e manter o negócio. Foi aí que surgiu o fundo de capital de risco CRP que  decidiu apostar na empresa, numa das primeiras operações do gênero no Brasil. Outras três compras se repetiriam, com diferentes fundos, em 1995, 2003 e 2005. Em 2011 a Lupatech é uma empresa de manufaturas e serviços de alto valor agregado, com foco no setor de petróleo e gás e com presença global. Os negócios estão organizados em três segmentos: Energy Products, Flow Control e Metalurgia. O segmento Energy Products oferece produtos manufaturados e serviços para o setor de petróleo e gás. Dentre as manufaturas, destacam-se cabos para ancoragem de plataformas em águas profundas, válvulas, equipamentos para completação de poços, sensores de fibra óptica, e, em serviços, aqueles relacionados a manutenção de estruturas produtivas, tais como de intervenção em poços e workover e revestimentos para tubulacões. O segmento Flow Control produz válvulas especialmente para as industrias química, petroquimica, farmacêutica, alimentícia, papel e celulose e construção civil. O seu segmento de metalurgia produz peças, partes e subconjuntos fundidos, principalmente para a indústria automotiva.

...governos não poderiam investir por razões óbvias...
                                                
                                                                          Em 1993 comprou a argentina Esferomatic produtora de válvulas. Apesar de freqüentemente citada como uma das "emergentes" da área, a Lupatech já navega na onda do petróleo desde 1993, quando comprou a argentina Esferomatic, produtora de válvulas. Depois de seis anos no país teve que fechar as portas voltando posteriormente e hoje tem seis unidades ali.
                                                                           O IPO em 2006. A meta do IPO foi pensado na
empresa desde 1995, quando o Bozano Simonsen Advent entrou no negócio. Finalmente, em 15 de maio de 2006 ele foi levado a cabo e a emissão de ativos permitiu à Lupatech levantar cerca de R$ 453 milhões via Bovespa e dar um excepcional retorno para os investidores que subscrevam, em um primeiro momento, ou seja, as suas ações Lançadas a R$ 22,00, encerraram o ano de 2007 valendo R$ 60,00.


                                                                          Empresas compradas em 2007/2008. As  incorporações da Cordoaria São Leopoldo, fabricante de cabos para ancoragem de plataformas, em Abril de 2007, e da argentina Norpatagonica, prestadora de serviços de intervenção em poços, em dezembro de 2008.
                                                                        

                                                                           O Pré-sal e a euforia. Com a descoberta do pré-sal criou-se grande expectativas em torno deste ativo. É que a empresa é fornecedora de equipamentos e serviços para a exploração de petróleo. A empresa passou a ser uma das preferidas dos investidores no setor de óleo e gás por diversos anos, a Lupatech tinha arrecadado R$ 450 milhões em sua abertura de capital, em 2006, e fez 15 aquisições nos anos seguintes. O futuro da fornecedora de equipamentos parecia esplendoroso após o fechamento de contratos bilionários com a petrolífera Petrobras Só que em relação a nossa empresa o pré-sal só ficou na euforia, não trouxe os retornos esperados pelos investidores.

                                                                          Contratos com a Petrobras em 2010
Entre 7 de junho e 5 de julho anunciou a assinatura de quatro contratos de fornecimento de equipamentos e serviços para a Petrobras no valor de R$ 1,7 bilhão e avisou ao mercado que outros, decorrentes de licitações com resultados favoráveis, estavam a caminho. Dois deles, de R$ 695,6 milhões e de R$ 745,5 milhões, prevêem serviços de manutenção e melhorias em poços de petróleo, incluindo desinstalação e instalação de válvulas em lâminas d"água de até 2,5 mil metros. O terceiro, de R$ 123 milhões, é para reparos e preservação de equipamentos destinados à complementação de poços. E o quarto, de R$ 140 milhões, é de fornecimento de cabos de ancoragem de plataformas marítimas. Foi um feito considerável no fechado setor de petróleo, que qualifica a companhia como fornecedora mundial de gigantes petrolíferas como Shell e Exxon. Na época a Lupatech já estudava parcerias na Ásia e nos Estados Unidos. Assegurava o conselheiro na época Clóvis Meurer:
                                      

                                                                       "Com esses contratos, a Lupatech atingiu a maioridade no setor, que é dominado por multinacionais. Poucas companhias nacionais têm contratos dessa envergadura com a Petrobrás."
                                                 
                                             
                                                                               . Pelos dados do último balanço de 2009, a dívida líquida da Lupatech no fim de 2009 era de R$ 1,04 bilhão, dividida entre compromissos de curto prazo, (R$ 56,7 milhões), de longo prazo (R$ 174,3 milhões), debêntures (R$ 340,2 milhões) e bônus perpétuos (R$ 475,0 milhões). No exercício encerrado em Dezembro, o lucro líquido foi de R$ 15,4 milhões. Deu prejuízos em 2008. Prejuízo de R$ 29,5 milhões em 2008, justificado pelo pagamento de ágio das aquisições de empresas.
                    

                                                   Foi um erro a criação de uma subsidiária em Portugal. A criação da subsidiária em Portugal, também nos anos 90, não se mostrou uma boa ideia.

                                                  Rebaixamento da nota da dívida em Outubro de 2011. A agência de classificação de risco Moody`s rebaixou as notas das dívidas desta empresa em Outubro/11 para Caa2 para a escala global e Caa2.br para a escala nacional, notas dos investimento lixo. Os motivos: alto endividamento+falta de liquidez. O pior. Segundo a agência as perspectivas são negativas para as notas de suas dívidas.

   ...alto endividamento+falta de liquidez=venda de ativos...             
                                                  Anunciou a venda da Steelinject para a Forjas Taurus em Outubro/11. A empresa vendida é da área de metalurgia e produz peças através de pó injetável (PIM -Power Injection Molding) e o valor do negócio é de R$ 14 milhõesA prova de que as coisas não andam bem é este anúncio de venda de bem patrimonial. Fez muitas aquisições que não justificavam.

                                                   Preço em 28/10/11. Fechou no valor de R$ 9,05, no ano cai retumbantes e arrepiantes 53,06%. O fator europeu/2011 deve ser levado em conta como visão macroeconômica. A festa continua.

                                                               Petrodependência. O investidor tem de haver a dependência  de uma empresa única como algo perigoso não só neste ativo como p outros que caminham por este mesmo erro.

                                                     Medo de calote e queda fantástica de -19,55% na data de 23/11/11. A queda foi em razão do medo que a empresa declare o calote de sua dívida. Não se esqueça que a dívida foi rebaixada pela Moody`s e que a dívida é de R$ 1,22 ou um bilhão e duzentos e  vinte mil reais, conforme balanço do terceiro trimestre de 2011. Tendo em conta o lucro e receitas é uma dívida considerada muito alta. Neste dia fechou a R$ 4,65.

                                                       Queda dantesca e horripilante de -25,81%  na data de 24/11/11. O medo do calote gerou o chamado pânico que é causado por algo dantesco como o calote, calote significa quebra da empresa. Fechou nos míseros R$ 3,45.

                                                       Notícias que o BNDES vai ajudar a empresa. Há notícias que o BNDES possa intervir, isso é vero em razão do BNDES ter 11,4% da companhia. Nunca se esqueçam que o BNDES tem 11,4% da empresa e é credor da fabulosa quantia de R$ 380 milhões. Fica a pergunta para o contribuinte? Este investimento não foi péssimo e periculoso, um verdadeiro fiasco em um país que não tem nem salas de aulas decentes. Governos não poderiam investir por razões óbvias. A empresa é uma moedora de dinheiro. Já falam também na oferta de ações como maneira de capitalização, este remédio, e é o de sempre nestes casos, tem como efeito colateral a consequente diluição do capital e prejuízos para quem alegremente acreditou no ativo. Só que quando as coisas são muito graves ele é quase inviável por reduzir em muito o preço da ação com consequente redução do capital amealhável.

nímio=abundante
                                                        A queda na bolsa não é em linha reta, nem a subida. Na data de 25/11/11 a ação teve um repique de +12,46%. Isto não quer dizer que não voltará a cair, nada neste fenômeno bursátil é em linha reta.

                                                          Aumento de capital anunciado no final de 2011. Aumento de capital significa que o bolo da empresa ou os possíveis lucros serão repartidos por um maior número de capital, é péssimo via de regra, é horrível quando se é para pagar dívidas. O certo é as empresas gerarem lucro para remunerar os acionista e reinvestir. O valor é de R$ 700 milhões de reais. Uma tragédia   , a companhia e a Lupapar Negócios e Empreendimentos assinaram um memorando de entendimentos (MOU) com BNDES Participações (BNDESPar), Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros), GP Investments e San Antonio Internacional. Neste drama, houve um acordo  que prevê a realização, pela companhia, de aumento de capital por subscrição privada, no valor de até R$ 700 milhões, dos quais o BNDESPar e o Petros subscreverão até R$ 300 milhões e o GP Investments subscreverá no mínimo R$ 50 milhões.Em contrapartida  a Lupatech vai incorporar a San Antonio Brasil. O preço de emissão será de R$ 4,00 por ação, fixado com deságio de aproximadamente 18,8% em relação à média ponderada da cotação das ações ordinárias nos últimos 20 pregões anteriores ao dia 26 de dezembro.


                                                                  Nunca se esqueçam. Que muitos investidores ficaram presos no ativo com preço de até R$ 60,00, um pesadelo vindo direto do pré-sal e agora há subscrição a R$ 4,00 consolidando o preço do ativo neste patamar. É o primeiro fiasco do pré-sal. Por isso, acompanhar o ativo é um aprendizado que trará nímias experiências a todos nós. Comprar, nem pensar, por enquanto.


                                                                    Resumo de 2011 e do texto acima. O grande erro da Lupatech foi embarcar no canto da sereia do pré-sal, um canto mavioso, dominador de mentes, enfeitiçantes e entoado por estes seres mitológicos iguais ao apresentado em 2007 pelo então presidente Lula. Com a mente dominada a Lupatech saiu comprando empresas, se endividou e aumentou a sua capacidade de produção, mas os projetos da Petrobrás não saíram no ritmo previsto e ela se ferrou em uma crise sem fim. A receita, o dinheiro que entra diuturnamente em uma empresa, foi bem inferior à prevista, a Lupatech chegou ao fim de setembro de 2010 com uma dívida de R$ 312,8 milhões que vence nos próximos 12 meses, mas com menos de 10% desse montante em caixa ou missérimos R$ 30,8 milhões. Em fase diferente em relação a Petrobrás. A situação da Lupatech reflete os anos de 2009 e 2010 em que a Petrobrás voltou-se para exploração de petróleo, em contrapartida, a maior parte dos equipamentos da empresa Lupatech é focado na fase de produção. Ela consumiu o seu caixa e a dívida estourou agora. Fechou o ano de 2011 em R$ R$ 4,46 com queda anual, até o dia 29/12/11, último dia de bolsa, em -76,92.

Às vezes, devemos ser iguais a Ulisses solerte,
ouvir o Canto da Sereia, amarrados pelos amigos
Perímedes e Euríloco. Obra de John William
Watherhouse, 1849-1917, retratando uma sirene.


                                                      O Futuro em 2012. O futuro à Tirésias pertence e não é bom afrontar o quarto axioma de Zurique, mas segundo o Sr. José Velloso em entrevista recente, vice-presidente da Associação Brasileira de Indústrias e Máquinas ou, simplesmente ABIMAQ, as empresas estão entregando as encomendas da Petrobrás, mas não têm novos pedidos. Para o ano que vem fez uma previsão dantesca ou traçou uma perspectiva de queda de faturamento e demissões no setor. E essa praga acabou passando para a Inepar. As duas ouviram, enfim, o mesmo canto da sereias que estão nos rochedos. Veremos, se Zeus quiser.




                     Primeiro trimestre de 2012. A empresa encerrou o mês de março com R$ 832 milhões na carteira de pedidos, face a R$ 2,3 bilhões em dezembro, isto o ocorreu em razão de cancelamentos de contratos com a Petrobras. O prejuízo de R$ 68,99 milhões no primeiro trimestre do ano, teve uma perda de R$ 8,9 milhões em igual período do ano passado. A Lupatech está prestes a realizar um aumento de capital social, via subscrição privada, de no mínimo R$ 350 milhões e, no máximo, R$ 700 milhões. Desse total, a BNDESPar e a Petros se comprometeram a aportar R$ 300 milhões. A companhia fechou o trimestre com R$ 1,49 bilhão em ativos, queda de 1% em relação a dezembro. Como seu passivo supera o valor total dos ativos, o patrimônio líquido da empresa é negativo em R$ 118 milhões. Destarte, quem comprar o ativo neste momento está investindo em uma empresa quebrada pois deve mais que tem, que dá prejuízo e que aumentará o número de ações fator que elevará a pressão vendedora.


Pujança e miséria do ativo OSXB3








 


Tem uma dívida consolidada no final
 de Setembro/2011 de quase um bilhão
de reais

...as dívidas têm a péssima mania de crescer muito...



                                                                                      A empresa. É um braço de equipamentos e serviços do grupo EBX controlado por Eike Batista. Em marco de 2010, a empresa amealhou em seus cofres recursos de R$ 2,5 bilhoes em sua oferta publica de acoes. Este IPO foi o sétimo maior primário da historia da BM&FBOVESPA. A OSX e uma Companhia do setor de equipamentos e servicos para a industria offshore de petroleo e gas natural, com atuacao em tres segmentos: construcao naval, fretamento de Unidades de E&P e servicos de O&M. Segundo a empresa o livro de encomendas da empresa é de cerca de US$ 30 bilhoes, dos quais US$ 4,8 bilhoes já estão confirmados.A empresa tem a maior Unidade de Construcao Naval das Americas, em construcao, no Complexo Industrial do Super Porto do Açu, situado no Distrito Industrial de Sao Joao da Barra.

                                                                                      Precificação do ativo OSXB3 no valor de R$ 800,00. No IPO de 2010 o ativo foi precificado em R$ 800,00. O Sr. Eike esperava que a precificação girasse em torno de R$ 1.200 a l.400,00. O IPO desta empresa foi um reluzente fracasso pois depois disso o ativo chegou abaixo de R$ 400,00. Investidores estavam contando com a seguinte jogada: comprava o ativo e depois esperariam um split ou divisão de ações em inglês. Funciona assim, você compra o ativo por R$ 800,00 em um futuro próximo divide-se o ativo por 100 ( ou qualquer outro número), o que abaixa o valor dele para 8,00 permitindo que pequenos investidores o compre. Por conseguinte, o investidor que tinha um ativo passa a ter 100.


                                                                        Risco nas alturas. Quem comprou o ativo no IPO, às deveras gosta de riscos. O negócio é arriscado em razão da construção de navios e platafpormas não ser tão rentável como muitos imaginam, há concorrência feroz e outros percalços na vida de uma empresa neste setor. O comprador dos produtos desta cempresa é a OGX que produz e produzirá uma quantidade pequena de petróleo, a esperança nas encomendas é a Petrobras. Assim, a empresa OSX de certa forma vende para ela mesma uma vez que ambas pertencem ao grupo EBX. Não tem dinheiro para tocar os seus projetos, vive de empréstimos com juros altos. Depois de 2008, um divisor de águas na economia mundial, o apetite por riscos diminuiu, o que afetará o grupo EBX e o levará à falência mais cedo ou mais tarde.




                                                               O pior IPO do mundo. A companhia registrou o pior retorno nos dias seguintes a sua oferta inicial de ações no mundo desde 2008, ano em que o mercado sofreu com a quebra do banco americano Lehman Brothers e considerado um dos estopins da crise financeira internacional. Os dados são de uma pesquisa publicada na edição de agosto de 2012 da revista Bloomberg Markets. O ranking de IPOs mediu as performances de 179 IPOs pelo mundo durante 90 dias após a estréia das ações. São IPOs que ocorreram entre setembro de 2008 e o final de 2011. Segundo o ranking, a empresa brasileira registrou uma queda de 43,37% nos 90 dias que seguiram seu IPO em março de 2010, superior a mais de 3 pontos percentuais para o segundo pior IPO no mundo no período, da empresa polonesa de produção de carvão Jastrzebska Spolka Weglowa, que caiu 40,22% no 90 dias pós-IPO, realizado em junho de 2011.


                                                                Valor da ação na data de 28/10/11. Fechou nos decadentes R$ 372,00, queda de quase trinta por cento em um ano.

                                                                

                                                                O cliente da OSX é a OGX. Um grupo empresarial não pode ter clientes do próprio grupo e transpirar confiança uma vez que se umas das empresas não ir bem derrubará as outras, a falência de uma será falência das outras, aí está o grande perigo. É esta a situação da OSX ou a OGX é sua única cliente, praticamente, estão aventando contratos com a Petrobras. Nesta ideia arriscada a A OSX fornecerá cinco FPSOs e duas plataformas semi-submersíveis à OGX. A primeira FPDO ou a OSX-1 foi construído na Coreia e custou 610 milhões de dólares. Dois outros FPSOs serão importados de estaleiros coreanos. Já os dois últimos, OSX-4 e OSX-5, e as duas plataformas serão construídas no Brasil, no estaleiro que a própria OSX está construindo no Porto do Açu, o porto do grupo de Eike Batista, em construção na cidade de São João da Barra, norte do estado do Rio de Janeiro. O estaleiro está sendo construído em parceria com a coreana Hyundai Heavy Industries e deveria tere começado  a operar no segundo trimestre de 2012. A construção dos navios começará no ano seguinte. O estaleiro consumirá investimentos de 3 bilhões de reais, dos quais 2,7 bilhões serão financiados pelo Fundo de Marinha Mercante,
ligado ao Ministério dos Transportes. O fundo repassa os empréstimos por intermédio de bancos públicos. Na próxima semana, a OSX assinará contratos de empréstimo com o BNDES e com a Caixa Econômica Federal. Um projeto difícil de ser levado a cabo, acaba sendo um desperdício de dinheiro público pela via BNDES.                                                                   




                                                                  Segundo trimestre de 2012. Apresentou prejuízo líquido de 6,3 milhões de reais no segundo trimestre, 42 % menor que o resultado negativo de 10,9 milhões apresentado um ano antes. No acumulado do primeiro semestre, porém, a empresa acumula lucro de 3,9 milhões de reais, contra prejuízo de 32,8 milhões de reais um ano antes.
 
                                                                   


                                                                         Recuo de 79,2% no lucro líquido no terceiro trimestre de 2012. A OSX teve queda de 79,2%, no lucro líquido do terceiro trimestre que somou R$ 6,916 milhões, na comparação com R$ 33,285 milhões do mesmo período do ano passado. O resultado teve impacto, segundo a empresa, do aumento de despesas com pessoal e aumento de despesas relacionadas à infraestrutura, como aluguéis, tecnologia e comunicação. Mesmo que tivesse lucro seria pequeno como ocorreu um ano antes, gostaria de saber como vão pagar as dívidas daqui a alguns anos.


                                                                           Endividamento em 30/Junho/2012. O endividamento consolidado somou 4,316 bilhões de reais no fim do período.

                                                                  
                                                                               Não podemos esquecer que fez subscrição de ações de quase um milhão de reais por um preço abaixo do mercado, o que não é bom, aliás um absurdo:



                                                                               conforme deliberacao do Conselho de Administracao de 6 de abril de 2011, aprovar aumento do capital social da Companhia, respeitado o limite do capital autorizado, em R$ 822.644,52 (oitocentos e vinte e dois mil, seiscentos e quarenta e quatro reais e cinquenta e dois centavos), passando o mesmo de R$ 2.513.400.488,00 (dois bilhoes, quinhentos e treze milhoes, quatrocentos mil, quatrocentos e oitenta e oito reais) para R$ 2.514.223.132,52 (dois bilhoes, quinhentos e quatorze milhoes, duzentos e vinte e tres mil, cento e trinta e dois reais e cinquenta e dois centavos), mediante a emissao de 10.509 (dez mil, quinhentas e nove) acoes ordinarias nominativas escriturais, sem valor nominal, ao preco de emissao, fixado de acordo com os aludidos Programa e Plano, no valor de R$ 78,28 (setenta e oito reais e vinte e oito centavos) por acao. As acoes emitidas em conformidade com a presente deliberacao serao subscritas pelos participantes da fase 1 do Plano, e integralizadas, no prazo de ate 60 (sessenta) dias a contar da presente data, atraves da emissao pelos respectivos participantes, em carater pro-soluto, de notas promissorias em favor da Companhia, conforme consignado em boletins de subscricao que ficam arquivados na sede da Companhia.
                                                               
                                                                        Valor da ação na data de 28/10/11. Fechou nos decadentes R$ 372,00, queda de quase trinta por cento em um ano.
                                                                  

                                                                         Novembro/2011. A quixotesca Primeira plataforma de petróleo do grupo do empresário Eike Batista, a OSX-1, montada na Coreia em Cingapura. A plataforma aportou no Rio há um mês com problemas sérios na área de segurança. Para não colocar em risco a vida dos 80 tripulantes, o Ministério do Trabalho interditou a embarcação, que ficou proibida de sair do porto do Rio de Janeiro rumo ao campo de Waimea, na Bacia de Campos. A OGX previa para o mês que vem a extração da primeira carga de petróleo pela plataforma, em Waimea, campo em águas rasas, a 80 km da cidade de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Estado do Rio. O investidor tem de estar sempre atento  a um fato no setor petrolífero, aproveitando o caso concreto deste atraso: o início da produção de petróleo sempre atrasa, este dogma é como se fosse uma das três pragas do setor.


                                                                           Emprestimo ponte da Caixa Economica Federal. A OSX recebeu da Caixa, em 27 de abril de 2012, R$ 400 milhões num empréstimo-ponte de 18 meses que vence no próximo 19 de outubro. Em 28 de dezembro de 2012, foram repassados pela Caixa R$ 627,4 milhões, com carência de 36 meses e vencimento em junho de 2033, referente ao 1º desembolso do FMM.

                                                                          Outubro de 2012, anuncia que emitrá mais ações. Companhia de mineração pertencente ao Grupo EBX, a MMX foi criada em 2005 pelo empresário serial Eike Batista. Em julho de 2006, a empresa realizou seu IPO na Bolsa de Valores de São Paulo, captando R$ 1,1 bilhão. O valor foi recorde entre as operações na bolsa naquele ano e permanece como uma das maiores já realizadas até hoje. No ano passado, a companhia chinesa Wisco comprou uma participação de 21,22% da mineradora por US$ 400 milhões.
Baixas recentes do grupo

                                                                      30 de Novembro de 2012.  A notícia de que alguns trabalhadores estão em condições subumanas na construção do estaleiro da OSX no superporto do Açu derrubou o preço do ativo. Segundo a notícia cerca de 200 trabalhadores vivem em um alojamento precário oferecido pela empresa espanhola Acciona, responsável pelos contratos com os trabalhadores. Os papéis da própria OSX caíram 6,35% e neste dia o ativo bateu o martelo em R$ 8,99.

                                                                      
                                                               O elefante branco vai entrar em recuperação judicial, junho de 2013.    Um dos maiores elefantes brancos das empresas de Eike Batista, o estaleiro da OSX em São João da Barra (RJ) pode pedir recuperação judicial e o que cirucula em rumores agora no mes de junho de 2013. Com o cancelamento das encmendas da OGX segundo os especialistas não ha encomenda suficiente para manter um projeto deste porte. Isto e o resultado da maior megalmania que ja vista no Brasil. 

 


 

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Pujança e miséria do ativo RNER3 ou Lojas Rener



                                                                 Foi fundada em 1912 por Antonio Jacob Rener e as suas ações vieram para a bolsa em 1967. Especializou-se em lojas de departamentos de moda em 1991. No ano de 1998 o americano J. C. Penney passou a ter a maioria das ações mas desfez delas diluídas na bolsa em  2005. Os estrangeiros tem mais de 70% do capital.

                                                                 Valor em 28/10/11. Nesta data o ativo fechou em 29,45, ou seja, quase a metade dos valores de Outubro de 2010.
                                                               

                                                                 3T11. O balanço do terceiro trimestre de 2011 não foi bem recebido pelo mercado e o ativo caiu os espetaculares -7,53 na data de 28/10/11. Os dois principais motivos são:  baixo crescimento das vendas; e recuo de 0,5% no lucro líquido.

                                                                 Apesar dos últimos pesares é um dos melhores ativos da bolsa. O seu índice de distribuição de dividendos é de 75%, significa que em seus estatutos está consignado que esse valor do lucro da empresa deve ser distribuído entre os acionistas.